Força extra para o fígado.

           Se você anda exagerando no consumo de carboidratos, bebidas álcoolicas e gorduras talvez seu fígado não esteja ficando muito feliz com isso..Nessas situações ocorre uma sobrecarga no orgão, que tende a causar sintomas como dores de cabeça, mal-estar, enjoos, etc.. Mas existem formas na alimentação de reverter essa situação. Segundo um estudo de nutricionistas brasileiros o consumo de determinados alimentos 2x/dia pode reduzir o estrago causado pelos excessos. E o melhor: a sensação de melhora é quase imediata. 

         Eu uso com os pacientes que apresentam esses sintomas e também com aqueles que apresentam gordura no fígado - a chamada esteatose hepática, que pode vir de um consumo excessivo de bebidas álcoolicas ou pelo ganho de peso excessivo. Tal quadro pode evoluir para uma cirrose se não tratado rapidamente. 
         
         Vem crescendo o número de casos de esteatose hepática em pessoas que são "aparentemente" magras, mas que apresentam aquela "gordura abdominal"..Tal godura visceral, pode se infiltrar entre os órgãos e chegar nas células hepáticas, causando assim a doença e reduzindo a funcionalidade do fígado.

         O nutriente responsável por essa limpeza é o enxofre, que está em grande quantidade nos alimentos de cor verde escuro, como: couve, brocolis, agrião. Também podemos citar as carnes magras, a lentilha, o feijão branco e o grão de bico que ricos em leucina e cisteína(aminoácidos) contribuem para fortalecar as enzimas hepáticas e assim regenerar seu fígado. Vegetais e frutas de coloração arroxeada como repolho roxo, beterraba, amora, mirtilo, uvas roxas com potencial antiinflamatório e os alcalóides da rúcula, almeirão, mostarda e agrião que são desintoxicantes também fazem sua parte no processo de melhora hepática. Os chás de boldo e carqueja, desde que feitos em forma de infusão também são ótimas alternativas para deixar seu fígado 100%. 





Suco Verde para o Fígado

Ingredientes:
1 folha de couve;
1 talo pequeno de salsão;
1 cenoura pequena com casca;
1/2 maçã ou 10 uvas roxas (retirar sementes para não amargar);
10 folhas de hortelã ou 1 col rasa de chá de gengibre fresco ralado para dar um toque refrescante;
200ml de água de coco(natural, nada de caixinha) ou água mineral.

Preparo: Liquidificar e consumir em seguida. Preferencialmente não coar para aproveitar toda a fibra, se achar que fica um volume muito grande,  coe uma parte e misture ao restante sem coar. Não adoce com nada, nem açúcar e nem adoçante. A cenoura, uvas ou maçã já vão deixar o suco bem docinho..não precisará usar nada para adoçar!!

Bom apetite e seu fígado agradece!!

Uma pedra no caminho da gestante


A Reunião anual da "Digestive Disease Week - 2011", realizada entre os dias 7 e 10 de maio em Chicago, nos EUA, mostrou abordagens diferentes para algumas doenças do aparelho digestivo.
Médicos da Universidade de Washington observaram que o excesso de ingestão de carboidratos e frutose às refeições, na gravidez, aumentam o risco de surgirem cálculos biliares nas gestantes. Segundo os pesquisadores, problemas relacionados a pedras na vesícula biliar são frequentemente causa não obstétrica de internação hospitalar de mulheres, um ano após o nascimento do bebê. A repercussão de problemas emocionais no estômago e nos intestinos é um importante e muito bem estudado capítulo da medicina psicossomática. Na reunião, foi discutida a possibilidade de muitos pacientes (e às vezes seus médicos) confundirem distúrbios intestinais como diarreias e gases, em episódios repetitivos, a intolerância à lactose (pessoas que não podem tomar leite ou comer seus derivados), quando, na realidade, representam a repercussão no organismo de problemas emocionais. Destacaram que, no caso de não ser identificada a origem do distúrbio, as pessoas devem evitar dieta isenta de laticínios pela possibilidade de surgir deficiência de cálcio no organismo, o que contribui para o surgimento da osteoporose. 
Outro estudo apresentado analisou os benefícios de exames de sangue para detectar preventinamente doentes assintomáticos, mas portadores da doença celíaca. Ela provoca distúrbios intestinais pela intolerância ao glúten, uma proteína encontrada no trigo, no centeio, na cevada, na aveia e no malte. Seus portadores devem excluir das refeições alimentos com glútens. Essa pesquisa mostrou que pacientes aparentemente assintomáticos apresentavam sintomas subclínicos e qualidade de vida reduzida ao consumir alimentos com glútens em sua composição.
por Julio Abramczyk - Folha de S.Paulo
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Dr. Alexandre Bezerra foi ao DDW 2011, em Chicago, e trouxe algumas das novidades. Nesse encontro, foram expostos diversos trabalhos, foram dados várias cursos e palestras. Ao ler essa notícia na notícia na Folha de S.Paulo, o Dr. Alexandre fez algumas observações pessoais: 
  • - Devem ser incluídos em exames pré-gestacionais a ecografia de abdome total. É comum que se veja na clínica particular e nos hospitais públicos uma elevada freqüência de cálculos de vesícula biliar em gestantes, com elevado risco de procedimento cirúrgico e complicações decorrentes dessa entidade. "Não vejo pedidos de ecografia para mulheres jovens, recém-casadas e que programam uma gravidez. Portanto, fica essa dica: realizar ecografia de abdome total antes da gestação", diz Alexandre Bezerra.
  • - Quanto ao estudo que defende a solicitação de exames de sangue para pesquisa de doença celíaca em pacientes assintomáticos, o Dr. Alexandre disse que talvez fique caro considerar exames como esses na rotina de check-up. "Mas acredito que seja interessante incluí-los, por exemplo, em pacientes com dispepsia", disse Alexandre

  • Contribuição: Dr. Alexandre Bezerra - Gastroenterologista da Clínica Parceira Gastro & Fígado.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...